Infraestrutura

O LIAA conta com uma área total de 120 m² dividida em:

Laboratórios de pesquisa. Os laboratórios estão divididos em duas salas: 113B e 114B (Primeiro andar do Bloco B da ala nova do CCB). A sala 113B possui uma área para experimentação com diferentes equipamentos de laboratório, computadores e conta ainda com uma sala de Pré-PCR (fluxo laminar, leitora de microplacas, sistema completo de quantificação de ácidos nucleicos e proteínas, termociclador convencional e termociclador para análises de PCR quantitativa em tempo real) e uma sala de Pós-PCR (cubas de eletroforese para ácidos nucleicos e proteínas, transluminador, sistemas para eletroeluição e blotting). A sala 114B está equipada com equipamentos para processamento de amostras (sistema de ultrapurificação de água, ultrasonicador, homogenizador de tecidos), análises microbiológicas (fluxo laminar, espectrofotômetro, centrífuga, banho-maria) e possui uma sala de microscopia (microscópio de fluorescência com sistema de fotodocumentação, microscópio óptico e microscópio invertido de contraste de fase). Essas duas áreas possuem autorização para manipulação de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs) da classe de risco 1 (Nível de Biossegurança 1 ou NB-1; CQB UFSC: 101/99. Processo: 01200.004786/98-64).

Sala de Apoio. Essa área (sala 112B – primeiro andar do Bloco B da ala nova do CCB) está equipada com estufas, BOD, shaker, autoclave e capela química.

Sala de aquários e Bioensaios. O setor de aquários (Sala 116C – primeiro andar do Bloco C da ala nova do CCB) possui uma sala para manutenção e aclimatação dos animais e uma segunda sala para a realização dos bioensaios. Essas salas são abastecidas com água doce e salgada e possuem sistema controlado de aeração, climatização e luminosidade. Essa área possui autorização junto à CIDASC (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina) para a realização de bioensaios com patógenos de interesse aquícola, como bactérias, fungos e o vírus da Mancha Branca (WSSV).